Home Baixada Interativa Humor: Amor Sublime Amor
Baixada Interativa - 30 de julho de 2011

Humor: Amor Sublime Amor

 Com o saco cheio das brigas diárias de seu pai com seus filhos e a esposa Eliônia, Alfredino, primogênito de Ricardo Waldez, o Espanhol, decidiu interná-lo em um asilo.

Nos primeiros dias, magoado com a decisão do filho, o coroa teve dificuldades de adaptação, mas logo se integrou a rotina e um mês depois já estava até de namorico com uma interna de nome Margarenha:

— Eu quero uma prova do seu amor!… (disse Espanhol a namorada, enquanto tomavam banho de sol)

— Que história é essa, você tá maluco? (indagou a mulher)

— Não é maluquice, muito pelo contrário, acho que é um direito que eu tenho sendo seu namorado, mas se você não quiser… Eu num vou ficar zangado…

Malandro e sedutor, o idoso acabou convencendo a dona e quando tiveram a certeza que todos dormiam, la se foi a dupla para uma pequena sala desativada da instituição, onde Espanhol pediu que Margarenha segurasse seu velho pênis, enquanto emocionado lia poesias de Mário Quintana, Espanhol chorava e sorria

O que era para acontecer apenas naquele dia tornou-se rotineiro e poderia continuar assim, se certa noite, depois de muito esperar pelo namorado e este não aparecer, a velhota não saísse à sua procura:

— Isso é muita sacanagem, você me trocar por essa piranha!

Gritou Margarenha ao flagrar Espanhol com outra interna de nome Nadirlândia no mesmo local de seus encontros com o amado:

— O que ela tem que eu não tenho velho safado?

Indagou tomada pelo ciúme. Sem perder a calma, Espanhol tomou as mãos da namorada e com um breve sorriso lhe disse carinhosamente:

— Minha teteia, você é a mulher que eu amo e que escolhi para estar comigo para sempre, mas ela tem mal de Parkinson e não deu pra resistir… Me perdoe!

Fernando Zappa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Check Also

Humor: Olhar Não Tira Pedaço

— Tem um babaca numa mesa la do canto que num tira os zolho de mim Purinildo. — Ué, num ol…