Home Notícias Economia e Negócios Classe média gastará R$ 1,2 trilhão no ano de 2013
Economia e Negócios - Notícias - 5 de fevereiro de 2013

Classe média gastará R$ 1,2 trilhão no ano de 2013

dinheiroO perfil da classe média brasileira mudou significativamente nestes últimos 10 anos. De 2002 a 2012, houve um acréscimo de mais de 35 milhões de pessoas na classe C e um aumento significativo na lista de potenciais consumidores no mercado. Quem ganhou com isso foram as empresas de e-commerce.

Segundo levantamento do instituto de pesquisa Data Popular e LCA Consultores, a participação da categoria na pirâmide social do país é de 52% e a expectativa de despesas em serviços da classe média chegam a 66,3%. Aliado a estes dados, nos últimos 10 anos o aumento do salário mínimo foi de 172,5%, gerando uma maior demanda pelo consumo. Com maior poder aquisitivo, os brasileiros passaram a buscar os mais diversos mercados que até então não ousavam trilhar, como por exemplo, o e-commerce.

A mais recente pesquisa da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) mostra que as vendas do comércio eletrônico brasileiro atingiram R$ 24,12 bilhões, com um crescimento de 29% em relação ao ano anterior.

A Mobly, maior loja e-commerce no segmento de móveis, decoração e acessórios para a casa no Brasil, registrou crescimento de 7000%, comprovando o aumento de renda da população. “Após um ano no mercado já vendemos mais de 500 mil produtos e tivemos cerca de 40 milhões de visitas, sendo que 80% das vendas correspondem ao público da classe média”, afirma Victor Noda, sócio fundador da Mobly.

A empresa divide seus produtos em oito categorias – Móveis, Infantil, Utilidades Domésticas, Decoração, Jardim e Lazer, Cama e Banho, Reforma e Eletro – tendo como grande diferencial sua variedade de modelos, estilos e preços (de R$ 5,00 a R$ 10 mil – dependendo do produto e marca). “Somos referência nesse mercado porque, além do melhor preço, oferecemos opções de pagamentos e facilidades na entrega”, explica Marcelo Marques, sócio da Mobly.

“O cenário é positivo e promissor, pois a população com mais dinheiro no bolso, reforma a casa, muda a decoração e busca produtos com preços acessíveis”, comenta Noda. De acordo com a pesquisa, há uma previsão de que a classe média gaste R$1,2 trilhão no ano de 2013, sendo R$ 48,6 bilhões destinados a construção e reforma da casa.

No ano de 2012, o campeão de vendas na Mobly foi o sofá, que correspondeu a 5% do total de produtos vendidos, seguido de poltronas com 3% e do racks com 2,5%. As regiões Sul e Sudeste representaram 70% das compras, sendo 65% de público feminino com idade média entre 30 e 35 anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Check Also

Artista plástico Paullo Ramos morre aos 70 anos

Morreu na madrugada de segunda-feira (06/04/2020) o artista Plástico Paullo Ramos. Paullo …